NOTÍCIAS

06/12/2018

Prorrogadas as inscrições para o Concurso Nacional de Dramaturgia Qorpo-Santo

O concurso integra as atividades da 1ª Bienal de Dramaturgia Qorpo-Santo

O Concurso Nacional de Dramaturgia Qorpo-Santo, através de sua coordenadoria, ampliou o prazo de inscrições. Agora, candidatos têm até dia 30 de dezembro de 2018 para registrar seus textos nas categorias de teatro adulto e/ou infantil. Podem participar da seleção, autores de textos inéditos e as inscrições são feitas online, através do site bienalqorposanto.org.

O concurso integra as atividades da 1ª Bienal de Dramaturgia Qorpo-Santo, evento pioneiro no Brasil, que ocorrerá de 17 a 21 de junho de 2019, em Triunfo (RS), e terá durante a programação seminários e workshops para estimular a produção da escrita dramática de novos autores e dar visibilidade ao dramaturgo José Joaquim de Campos Leão, o Qorpo-Santo. O Patrocínio é da Braskem S.A.

Dúvidas específicas a respeito do funcionamento da plataforma ou sobre o processo de inscrição ou seleção serão esclarecidas exclusivamente através do endereço eletrônico: info@bienalqorposanto.org. O resultado do concurso e a cerimônia de premiação acontecerão durante o evento.

Uma comissão de seleção adotará como critérios para a escolha dos textos que melhor responderem ao objeto do concurso e a relevância estética da dramaturgia apresentada. O texto vencedor receberá um prêmio de 10 mil reais e a publicação da obra em formato de livro com uma tiragem de mil exemplares. Será lançado, ainda, um e-book no Portal da Bienal de Dramaturgia Qorpo-Santo que ficará disponível para leitura, reservado o direito patrimonial do autor para sua autorização quanto a montagem do texto. QORPO-SANTO

José Joaquim Leão nasceu no dia 19 de abril de 1829 em Triunfo (RS). Foi dramaturgo, poeta, jornalista e escritor. O primeiro trabalho, escrito em 1862, intitulou-se "Ensiqlopédia ou seis mezes de huma enfermidade". No entanto, foram necessários quase cem anos, a partir da publicação original dos textos de autor gaúcho, para que sua obra conquistasse reconhecimento devido aos esforços de muitos intelectuais que assim o quiseram e para tal trabalharam, na década de 1960. Visto como um indivíduo criativo e fora de seu tempo, não se propõe mais sua suposta intenção como inovador da estética, mas como um artista envolvido e dedicado intimamente à sua obra, tanto que, por vezes, sua mente invade os personagens liberando seu discurso como uma colagem desconexa da lógica da personagem. QS foi um dos primeiros a tratar a homossexualidade na dramaturgia. Faleceu no dia 1º de Maio, em Porto Alegre, aos 54 anos.


Voltar