NOTÍCIAS

31/08/2017

Orquestra Jovem do RS comemora oito anos com a presença do maestro Ricardo Castro

A convite da Braskem, os Conselheiros de Triunfo, Nova Santa Rita e Montenegro prestigiaram o Concerto

No dia 30 de agosto, a convite da Braskem, os Conselheiros de Triunfo, Nova Santa Rita e Montenegro participaram do Concerto em comemoração aos oito anos da Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul (OJRS).

O evento foi especial para as crianças e os adolescentes integrantes da OJRS. Eles subiram ao palco do Teatro do Centro Histórico-Cultural Santa Casa e foram regidos pelo maestro Ricardo Castro. O concerto, que teve entrada franca, comemorou os oito anos de inclusão social que a instituição vem proporcionando para jovens de 10 a 24 anos das redes públicas de ensino.

Ao lado do maestro Telmo Jaconi, Castro animou a plateia e regeu com a devoção de sempre os mais de 100 alunos – de todos os níveis – da Orquestra Jovem. No repertório: Concerto Grosso op.6 Nº 5, de G. F. Händel; Divertimento para Piano in C-Dur/Concertino, de J. Haydn; Sinfonia Concertante für Contrabass und Viola, C.D.Dittersdorf; Melodia em la menor, Oblivion e Fuga y mistério, de A. Piazzolla.

O maestro Ricardo Castro é gestor, regente e professor do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) que, assim como a Orquestra Jovem, representa uma possibilidade de mudança na vida de crianças e jovens através da prática coletiva da música. 

A Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul 

A Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul proporciona formação profissional na área da música instrumental, inclusão social, geração de renda e oportunidades de vida a mais de 100 crianças e jovens da Grande Porto Alegre. Estudantes da rede pública de ensino, na faixa etária de 10 a 24 anos, formam o público alvo que compõe o corpo orquestral, constituído pelos seguintes instrumentos: violino, violoncelo, viola, contrabaixo, flauta, piano, percussão e agora o naipe de sopros, inicialmente composto de Oboé, flauta doce e transversal, fagote, clarinete e trompa. 

A entidade mantenedora é a Associação Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul, uma ONG pautada pelo princípio de transparência e voltada à gestão integral da Orquestra. A manutenção das atividades ocorre por meio de contribuições dos Amigos da Orquestra Jovem, Leis de Incentivo (ROUANET E LIC -RS), projetos incentivados, empresas patrocinadoras e doações.

A Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul é reconhecida em todo o estado e no Uruguai, já tendo realizado concertos em dezenas de cidades. Em 2012 recebeu o Prêmio Líderes e Vencedores, concedido pela Assembleia Legislativa, e o Prêmio Equilibrista do Ano, do IBEF/RS (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças). Em 2014, venceu o edital Funarte de Apoio a Orquestras e, em 2015, o edital Pró-Cultura RS/FAC Sonora Musical.

Além dos concertos mensais gratuitos realizados no Teatro do Centro Histórico-Cultural da Santa Casa, os alunos fazem apresentações em eventos públicos e privados em todo o Estado, e em diversas capelas de Porto Alegre, com a série Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul – Capelas.

“É um trabalho que nos dá muito prazer. Nesses oito anos de Orquestra Jovem, vimos que é possível transformar a realidade social das crianças e suas famílias”, diz Carla Zitto, presidente da OJRS. Atualmente, mais de dez alunos do projeto estão cursando Bacharelado em Música na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, dado que dá ainda mais orgulho para os envolvidos no projeto. 

A Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul é um projeto que existe graças ao apoio da comunidade e de empresas parceiras como Banrisul, Braskem, Souza Cruz, RBS, Redemac, Postos Buffon, Sidersul, Cartório de Registros de Sapucaia e Associação de Iniciação Musical.


Voltar